Assertividade e autoestima

Home / Artigos / Assertividade e autoestima
Assertividade e autoestima

Hoje em dia, se fala muito da autoestima. O que tem a ver assertividade com autoestima?

Assertividade pode ser, ao mesmo tempo, causa e efeito da autoestima. 
 
Porque assertividade pode ser a causa de uma boa autoestima?
 
 Acredito que sendo assertivo a pessoa abre possibilidades para gostar mais de si mesmo nas interações interpessoais, pois a assertividade pressupõe habilidades no trato interpessoal, como por exemplo conseguir se expressar de forma tranquilaquando for necessário se colocar diante de alguém que esteja sendo abusivo. 
 
E porque a assertividade poderia ser efeito de uma boa autoestima? 
 
Tendo uma boa autoestima você vai ser mais seguro e poderá conseguir ser assertivo sem agressividade.

A assertividade pode ser confundida com agressividade, já ouvi uma pessoa dizendo que “assertividade” é ser mal-educado. Talvez imaginem que se posicionar diante de outra pessoa implique em falar o que quer da forma que quer quando na realidade trata-se da arte de se colocar de forma elegante, firme e positiva. 

Tudo bem, sabemos que o assertivo pode muitas vezes ser mal recebido. Talvez  o assertivo não seja manipulado pelos outros,  não caia no jogo da chantagem emocional, mas isso não pode ser confundido com comportamento inadequado. 

Talvez tenha a ver com algumas culturas onde se aprende desde pequeno que deve se sacrificar pelo outro e acabam considerando falta de educação ser assertivo. Seria egoísmo pensar emnós mesmos?

Mas vejam bem, assertividade é muito diferente da agressividade. Um agressivo diz: "Sua proposta é horrível!", enquanto um assertivo diz: "Não me sinto bem com sua proposta!".

Pode até ser que algumas vezes a sociedade prefira o agressivo, porque o agressivo perde a razão e no fim pode ser "convencido". Enquanto que o assertivo não, mesmo depois de muita pressão, o assertivo continua dizendo: "Ainda assim, não me sinto bem com sua proposta e quero negociar de forma que nós dois possamos sair ganhando".

O assertivo é menos manipulável. É consciente e sabe o que faz, para quem faz e por que faz. E até quando faz o que não quer, ele faz por opção, faz porque quer e não por ser vítima.

O assertivo não se revolta, nem murmura, mas se prepara para a próxima oportunidade e aguarda o momento certo. Sabe demonstrar benevolência sem ser paternalista. 
Mas, já que assertividade é tão boa assim, porque as pessoas não são assertivas?  Talvez o medo da perda possa impedir. O medo de perder o emprego, de perder o amor do outro, enfim, medo da exclusão. E quanto menor for a autoestima, maior pode ser o medo da perda.

A assertividade está intimamente ligada ao autoconhecimento. Quando alguém não sabe o que quer pode se tornar uma pessoa passiva. 

O comportamento agressivo também pode ser ensinado pela cultura. A gente pode aprender a resolver conflitos com agressividade quando ouve que "o mundo é dos espertos", "a melhor defesa é o ataque", "bata antes de apanhar", "nunca leve desaforos para casa".
 

Pode ser difícil no começo, mas a assertividade vem normalmente com o treino. Observe seu próprio comportamento e identifique as situações nas quais tem sido passivo, agressivo e assertivo. 

O comportamento assertivo é o que torna a pessoa capaz de agir em seu próprio interesse, sem ansiedade, sendo sincero sem agressividade e sem constrangimento. A assertividade é não ter aquela necessidade de ser aprovado por outras pessoas. A pessoa se torna autoconfiante e com autoestima. Quem está sempre permitindo que os outros abusem tem um nome: é a pessoa “não assertiva”