Inteligência emocional

Home / Artigos / Inteligência emocional
Inteligência emocional

 

Segundo Daniel Goleman, famoso autos do livro sobre inteligência emocional, QI elevado não basta  para alguém ser bem sucedido, ter um bom emprego ou uma empresa lucrativa. Tirar notas altas não influencia em nada o quanto uma pessoa será feliz e realizada em sua vida, assim como não tem nada a ver com qualidade nos relacionamentos de amizade ou amorosos.

O que importa para a sensação de satisfação seria a inteligência emocional – que significa ter auto controle sobre suas emoções e saber como não se entregar nas situações complicadas da vida. Isso é mais que inteligência, é competência emocional.

Segundo Goleman sabendo administrar as emoções seria possível aumentar  todas as possibilidades, até mesmo de sucesso financeiro. A vida é feita de relacionamentos. Para fechar negócios, paquerar ou fazer parte de uma instituição é necessário ter boas habilidades interpessoais. Isso só será possível sabendo dominar as emoções, se você não explodir quando fizerem algo, se não tiver vontade de fugir cada vez que for contrariado, se não se esconder quando sentir ansiedade em realizar coisas novas aumentaria as chances de sucesso.

As possibilidades de ser reconhecido por nossas capacidades aumentariam se soubermos mostrar esta capacidade de forma harmoniosa. De nada adianta ser expert em engenharia se não conseguimos fechar um só contrato por ter medo de enfrentar as pessoas e as duras negociações de cada negócio.

O grande divulgador do termo foi Daniel Goleman com seu famoso livro “Inteligência emocional”, mas antes dele outros grandes psicólogos já haviam usado o termo, sendo que o psicólogo John Mayer, da universidade de New Hampshire, é considerado o criador deste termo no final dos anos 80.

O “avô” da inteligência emocional é o psicólogo E. L. Thorndike, pois publicou um artigo mencionando a Inteligência Social como um dos principais fatores de sucesso pessoal. Sua definição de inteligência social era “capacidade de entender os outros e agir com sabedoria nas relações humanas”.

 

Características da inteligência interpessoal

1- Organização de grupos. Habilidade em liderança, envolvendo iniciativa e coordenação de esforços.

2- Negociação de soluções. Assume o papel de mediador, prevenindo e resolvendo conflitos.

3- Empatia ou sintonia pessoal. Capacidade de identificar e entender os desejos e sentimentos das pessoas, respondendo de forma apropriada a eles.

4- Sensibilidade social. Capacidade de identificar sentimentos e motivos das pessoas.  

 

A inteligência emocional é dividida em cinco áreas:

1- Autoconhecimento emocional – Capacidade em reconhecer um sentimento quando ele ocorre e assim não ser “escravo das emoções” cedendo ou se entregando cegamente a elas. Ao reconhecer seus sentimentos você pode dar o primeiro passo para dominar este estado, reconhecer que está ansioso, com medo, inveja, preocupado, irritado, etc. Esta tarefa pode ser muito difícil de cumprir sozinho, a psicoterapia possui técnicas para que você entre em contato com quem você realmente é.

2- Controle emocional – É a forma como lidamos com nossos sentimentos, adequando-os as diversas situações e sem comportamentos impulsivos. Quem não tem esse controle nunca sabe o que fazer. Dificuldades em tomar decisões vem deste empobrecimento emocional. Se você responder à raiva do outro com a sua raiva nunca terá o controle da situação. Somente com a autonomia adquirida através do auto controle é que você pode decidir qual será o final de cada interação.

3- Automotivação – Fundamental para manter-se determinado sempre em busca de soluções criativas para os problemas. Persistência e perseverança são qualidades apenas de quem não se deixa entregar pelas emoções. Todo caminho tem espinhos e a fragilidade emocional faz com que os menos inteligentes emocionalmente desistam.

4- Reconhecimento de emoções em outras pessoas – Importante para o bom relacionamento com as pessoas. Também conhecido como empatia. É a capacidade de se colocar no lugar das outras pessoas e compreender como elas se sentem.

5- Habilidade em relacionamentos interpessoais – Grande capacidade de interagir com as pessoas. Esta habilidade é comum nas pessoas populares e lideres. Esta habilidade lhe proporciona possibilidades infinitas de pessoas à sua volta, tanto amigos, colegas de trabalho e até relacionamentos amorosos.

Aprimorando a Inteligência emocional 

1- Ser flexível. Não aceite a primeira coisa que lhe passa pela cabeça. Não permita que o preconceito lhe domine. Não acredite que a outra pessoa é burra só porque ela te irritou, nem que o outro é superinteligente só porque fez uma tarefa de forma correta.

3- Identificar seu estado emocional do momento. Pergunte a si mesmo: O que estou sentindo agora.

4- Sempre que se sentir inseguro procure se encorajar. Não deixe que pensamentos desanimadores o dominem.

5- Desenvolver seu otimismo. Mesmo que haja coisas horríveis acontecendo pode haver algo de bom para aproveitar.

6- Estar atento a si mesmo e aos atos que te levam ao caminho oposto da inteligência emocional, assim você poderá corrigi-los a tempo.

7- Ser persistente.

Tem alguma área onde não consegue aplicar toda sua inteligencia? Conte com um psicólogo.