Quem faz psicoterapia é louco?

Home / Artigos / Quem faz psicoterapia é louco?
Quem faz psicoterapia é louco?

Esta é uma pergunta que eu gostaria que não fosse mais necessária, mas vejo que ainda há quem imagine que a psicoterapia seria indicada apenas para pessoas que apresentem quadros severos compostos por grandes alterações.

De toda forma considero importante o entendimento da palavra “louco”. Normalmente esta palavra é utilizada para identificar um quadro psicótico, mas estas são situações onde nem sempre há possibilidade de elaboração suficiente para acompanhar uma terapia.

Em meus atendimentos percebo que é muito comum que as pessoas iniciem seu processo com a pergunta “Estou ficando louco?” Eu costumava responder que se fosse louco nem estaria me fazendo essa pergunta, pois provavelmente esta auto avalição não costuma ser possível em pessoas que de fato estejam fora da realidade.

Na verdade muitas vezes esta palavra é até usada com orgulho pelos que consideram interessante ter pensamentos diferentes da maioria. Ok, pode ser interessante pensar de forma inovadora, mas isto seria loucura?

O que percebo é que boa parte dos sintomas psicológicos podem ser mal compreendidos, talvez devido à falta de conhecimento, e quando alguém sofre por exemplo com transtornos de ansiedade onde pode ocorrer a desrrealização, sensação bastante desconfortável onde a pessoa não percebe a si mesmo nem o momento como real, pode interpretar este sofrimento como "loucura".

Quem faz psicoterapia é a pessoa que deseja alguma transformação, seja ela necessária devido a comportamentos ou sentimentos que causam dor ou prejudicam alguma área da vida, ou pessoas que desejam auto conhecimento ou aprimoramento pessoal.