Traição - A importância da cama

Home / Artigos / Traição - A importância da cama
Traição - A importância da cama

Uma pesquisa publicada no The New York Times revelou que mais de 50% entre as 500 pessoas entrevistadas responderam que o casamento não sobreviveria se flagrassem o parceiro – ou soubessem – que ele usou a própria cama em uma traição. A tolerância é bem maior quando não envolve a cama. Menos de 30% dos pesquisados disseram que o casamento não sobreviveria se a traição fosse fora de casa.

- Pela pesquisa, a traição em si não é o grande problema, mas sim o local onde ela aconteceu. Você concorda com isso?
Psicólogo : Sim, neste caso a cama passa a ser um objeto aversivo para a pessoa traída é onde se consumou o ato da traição. A mulher perdoa mais do que o homem isso já sabemos estatisticamente, a cama neste contexto representa o lugar onde o casal dorme todos os dias, onde eles também têm suas relações, e imaginar que outra pessoa esteve em sua cama, toda a magia do “ninho do amor” se acaba, e a cama passa a ser um lugar onde ela evitaria estar, pelo simples fato das lembranças e imaginação de como e porque ocorreu não saírem do seu pensamento. 


- Quando a traição acontece na cama do casal, o choque é maior, pelo menos para mais da metade das pessoas entrevistadas. Por que a cama tem tanto significado para o casal? 
Psicólogo : A cama para o casal simbolicamente é onde eles podem ter suas intimidades, onde eles podem descansar, ter seus momentos de paz e onde eles vivem coisas que somente eles sabem, é como se fosse um “lugar sagrado”, e trair em um local com todo esse simbolismo é o que causa todo o sofrimento. Por isso a cama tem tanto significado para o casal. 


- Não é só a traição que atrapalha a convivência dos casais na cama. Problemas como ronco ou manias levam os dois a dormirem em camas separadas. De que forma essa atitude influencia no relacionamento?
Psicólogo : Hoje em dia já existem tratamentos muito bons para esses tipos de problemas. Dormir em cama separada de certa forma é uma separação, embora estejam juntos na mesma casa não tem mais a mesma energia “casal”, e passam a viver individualmente, sendo mais egoístas e pensando mais em si mesmo.


- Em algum momento é bom o casal dormir em camas separadas? E quando é ruim?
Psicólogo : Sim, somente em momentos de “muitas” discussões, é a forma de cada um pensar e repensar em suas atitudes, comportamentos e o “porque” ter alguém ao seu lado. Tudo isso é saudável em discussões muito sérias. Passa a ser ruim se em qualquer discussão dormirem separados, e não saberem dialogar sobre o assunto e acham que dormirem em camas separadas vai solucionar o problema.

 

- Quais outras informações o senhor gostaria de ressaltar sobre o assunto?
Psicólogo : É muito importante existir entre os casais o respeito e a consideração, esses dois fatos somaram os valores para o casal. O diálogo também é primordial na vida a dois é o momento onde eles podem se posicionar na relação, é saber falar e ouvir o que está bom e o que não está, e assim viver um relacionamento mais tranqüilo e em paz

 

 

cama reforça diariamente a união e a cumplicidade do casal. E quando nesse contexto surgem problemas como brigas ou roncos excessivos, a saída encontrada por muitos parceiros é evitar a divisão do leito.

"Dormir em camas distintas, de certa forma, é uma separação. Embora estejam juntos na mesma casa, não há mais a mesma energia entre eles, que passam a viver individualmente e de maneira egoísta", comenta a psicóloga Rosana Gabriel

Entretanto, Dra. Rosana revela que há um lado positivo em dormir em camas separadas. Mas só de vez em quando. "Em momentos de ‘muitas’ discussões, esta é a forma de cada um pensar e repensar suas atitudes, comportamentos e os motivos pelos quais tem alguém ao seu lado. Isso é saudável em desentendimentos sérios". Mas pondera: "Essa atitude passa a ser ruim se em qualquer briguinha o casal passar a dormir separado, em vez de dialogar sobre o assunto e achar que o não compartilhamento da cama vai solucionar o problema."

Independente da importância que se dá ao leito matrimonial, dois princípios não podem faltar numa vida a dois: respeito e consideração, dois fatores que somam valores para o casal. "E não se deve deixar de lado o diálogo, momento em que as partes envolvidas têm a chance de se posicionar na relação, dizer o que está bom e o que não está e, assim, viver um relacionamento mais pacífico", orienta Dra. Rosana.

Pular a cerca na própria cama

Se há gente solteira que não gosta de ninguém sentando ou deitando na sua caminha, imagina se a esposa - ou o marido - descobre que a "pulada de cerca" aconteceu na tradicional e sagrada cama do casal?

Essa pergunta foi tema de uma pesquisa realizada pelo jornal americano "The New York Times". Mais de 50% das 500 pessoas entrevistadas afirmaram que o casamento chegaria ao fim se a traição acontecesse na própria cama do casal. Outro dado interessante: se a "escapada" não acontecer no leito matrimonial a taxa de pessoas que colocariam um ponto final no enlace cai para 30%.

Segundo os advogados e terapeutas consultados pela publicação, uma traição na própria cama é algo de que não se esquece... Então quer dizer que para perdoar uma traição é preciso analisar se ela aconteceu ou não na cama do casal? Por que este móvel é tão essencial na hora definir o futuro de um casamento?

Psicóloga Rosana Maria Gabriel CRP 06/89502 em entrevista para Juliana Falcão - site Vila Mulher (portal Terra).